Terça-Feira, 19 de Julho de 2011

Todos pela música


Meio estranhemente vi-me incluído numa plateia predominantemente feminina para assistir palestras num curso denominado “Formação de plateia em música”, coordenado e apresentado por Clarice Miranda e Liana Justus.

Clarice educadora musical, musicoterapeuta, compositora, letrista e soprano (ainda não tive a prova desta última qualidade!), atuou em vários grupos vocais em Curitiba como solista e gravou participação com a renomada Orquestra Sinfônica de Berlim.

Liana Justus, de sua vez, é mestre em História pela gloriosa Universidade Federal do Paraná, especialista em História da Música pela Embap-PR e licenciada em Educação Musical e Curso Superior em Piano.

Claria e Liana juntaram seus talentos e idealizaram a instituiram o curso Formação de plateia em música em 1993, inquestionavelmente uma tresloucada aventura num país com tamanho número de analbfabetos e com enorme população carente.

E... por um desses milagres, não é que acabou dando certo? Começaram tímida e humildemente no Solar do Rosário, com mínima plateia, mas confiantes e acreditando na ideia, foram subindo degrau por degrau e hoje tem público cativo e crescente, não obstante a ausência de qualquer espécie de publicidade que não aquela dos frequentadores que, empolgados com as reuniões transmitem suas impressões a terceiros.

Verdade que é música erudita. Mas se alguém acredita que o povo não gosta de música clássifca está redondamente equivocado. O certo é que o povo não tem tido fácil acesso à música erudita. Já tive oportunidade de ver mendigos vibrando ao final de execuções musicais na escadaria da Universidade Federal do Paraná, aliás apresentações que, lastimavelmente, são tão raras. Na verdade é essa falta de contato do povo com a música de melhor qualidade que não os aproxima mais dessa belíssima arte que tem a virtude de nos alegrar a própria alma.

P.S.- Jamais confie em alguma pessoa que não aprecia a música. John Wolfgand Goethe.







 Voltar

Contato