Sexta-Feira, 26 de Agosto de 2011

Por: João Féder

Tem direito a fazer lei quem tem ética


Como é importante saber votar, não trocar voto por qualquer oferta mesmo a mais tentadora. Lembre-se, nós escolhemos pessoas para dirigir nosso futuro e nossos sucessores. Depois da eleição, problema passa ao parlamento onde obedecer a ética é tão relevante quanto respeitar a lei.
Normalmente não seria necessário, mas notícias que nos preocupam estão a recomendar que primeiro artigo de qualquer lei do regimento interno a Carta Magna deve logo prescrever: É proibido legislar em causa própria. Demais tranquilo, ou melhor inadmissível que vereador, deputado ou senador possa fixar seu próprio vencimento, salário ou subsídio.

Imaginou: eleito se julga importante, quer novo carro, nova casa, já um avião, outro avião humano e feminino, a mulher mais bela e gostosa e quem tem muito, a menos que seja mais feio que belzebu leva para cama quem escolher. Geralmente depois tem que suportar as consequências. Amante custa cinco vezes ou mais do que sustentar família numerosa. E diga que não...

Compreendo que não deve ser fácil resistir ao ímpeto. Ganhando mais, notadamente na Ilha da Fantasia (Brasília), onde o Brasil não tem problema, não existe miséria, o povo é feliz, paga imposto barato, tem serviço público de saúde, educação e segurança em nível adequado, no fim do mês ainda resta uma quirera para convidar a patroa a jantar fora, fazer uma viagem não a Barreirinha ou Piraquara, mas a Monte Carlo ou Veneza – notaram que substimei Paris, Roma e Madri, além das demais. Questão de gosto.

Para fazer lei também é necessário saber e muito. Um pouco mais ética. Ética é vocábulo de não muito uso. Palavra de origem grega. Vem de ethus. Ethus em grego tem o significado de caráter. Viu a importância?

Em resumo. Cidadão eleito para fazer lei deve ter ética para não legislar em benefício próprio. Não só. Não legislar para favorecer parentes, amigos e, o mais difícil, atender pedido de pessoa que ajudou na sua eleição e que precisa agora de uma ajuda não “muito legal”. Coisas que fazer a política ser cada dia mais complexa.

P.S.- Toda vez que o parlamento faz uma piada ela vira lei e toda lei que faz para atender determinado interesse vira piada. Will Rogers, comediante dos Estados Unidos nascido em 1879 e falecido em 1935.







 Voltar

Contato