Segunda-Feira, 14 de Março de 2011

Inaceitável: milhões de analfabetos


Não me conformo e custei a acreditar. Recuso-me a aceitar. É uma falha, mais uma vergonha, descalabro, irresponsabilidade, enorme escândalo e injustificável omissão governamental: 14 milhões de analfabetos.

Dinheiro para estradas tem, para comprar avião tem, para construir casas, pontes e obras diversas sim e para escolas não. E isso faz com que nosso Brasil brasileiro fique sendo somente terra de samba e pandeiro com milhões de pessoas sem saber ler e escrever.

Marginalizados, sub-cidadãos, excluídos, cegos pela desinformação e, conseguintemente, amargando vida mais difícil, quase intolerável, sem horizonte nem esperança num triste abandono, esquecidos ao relento mas ainda nossos patrícios, irmãos de alma e que merecem, eles sim, maior atenção por quem de direito.

Bolsa família? Quiçá. Mas primeiramente bolsa estudo. Terá o governo já olvidado do sábio velho conselho: não adiante dar um peixe a cada dia, é preciso ensinar a pescar!

Ademais é impossível crer que o governo desconheça que o primeiro e mais importante passo é a escola. A escola que faz de uma criança o futuro cidadão, escola que ensina a enfrentar os dias mais ásperos, escola que cimenta o caminho seguro e feliz, escola cujo valor só se reconhece com o passar do tempo, lições que vão nos conduzir para o alto e também para o berço do sucesso.

Estranho é saber como é que um país com milhões de analfabetos consegue viver em paz, imagine-se se eles, descobrindo a força que tem, se unum e encetam uma revolução? Quem os segura? Até porque para manejar uma arma não é necessário ser doutor,nem semi-letrado. Puxar o gatilho é facílimo, quanto a pontaria, erra um tenta outra vez até acertar.

P.S.- A ignorância do ignorante é ignorar sua própria ignorância. (A.P. Alcott, in Discurses)







 Voltar

Contato