Quinta-Feira, 17 de Novembro de 2011

Eu ando a 60. E você?


Realmente o tempo é campeão de velocidade e esta sempre a nossa frente. Há não muito tempo a gente falava: olha lá, vai a 60 por hora. Era um perigo. E haviam poucos veículos, as mesmas ruas, muito menos gente circulando e todos preocupados com alta velocidade de 60 quilômetros por hora.

Mas devagar a velocidade disparou e motoristas que eram pé-de-valsa se transformaram em pé-de-chumbo. Automóveis hoje são capazes de disputar com aviões, mesmo voando baixo e com pneumáticos cantando fora do tom no asfalto. Detalhe não menos importante. Mulheres, mesmo de salto alto, também pisam fundo e, sejamos sinceros, algumas dirigem melhor que seus dignos esposos.

Anda a 60 hoje é ser insultado por quem está com pressa. Esta com sono companheiro? Esse calhambeque não anda mais que isso? Economia de gasolina ou doente do pé que esse fordeco não caminha?

Eu não me importo com velocidade elevada, mas minha esposa não se sente bem, teme acidente. E já me indagou, quando eu ainda dirijia: você imaginou se todos andassem a essa velocidade? “Querida, é porque todos não andam que eu me permito andar”. Lógico, discussão que se prolonga.

E é interessante observar que não recordamos o tempo que se perdia caminhando, andando a cavalo, de carroça até chegar o automóvel. E, relevante, motocicleta. Talvez a grande invenção do transporte humano, ágil, rápida e com a emoção que outros veículos não oferecem. A bordo de uma motocicleta parece que a cada cem metros penetramos em novo “mundo”, respirando ar puro, sentindo a atmosfera, cabelos vibrando ao vento e coração batendo em frenético ritmo. Não era capricho de Jô Soares sua preferência em percorrer a Via Dutra em sua moto. E ele andava a 60? Sem dúvida, nos primeiros cem metros...

Mais gordo do que eu e talvez você, sentia desconforto no apertado banco dos aviões, perdia tempo no aeroporto, mostra documento, pesa e verifica bagagem e retiram o que acreditam ser ameaça. Eu costumo andar com estilete para entre outros coisas obter recortes de jornais e revistas de assuntos do meu interesse. Tomaram-me três. “Se o senhor quiser na chegada procure no setor xis”. Nunca procurei.

Em viagem tempo é mais valioso não dá para ficar perguntando onde fica isto e aquilo. Bem por isso fiscalizam com rigor.







 Voltar

Contato