Sexta-Feira, 10 de Setembro de 2010

Cuidado macharrões!


É necessário que, de princípio, apresente minhas desculpas pelo título. A ideia foi a de chamar atenção daqueles homens que e julgam superiores à mulheres, por uma ou outra razão, qualquer delas sem alguma razão, já que somos iguais em vida e em destino, e as diferenças anatômicas existem com a finalidade exclusiva de completar a nossa vida, o nosso amor e o nosso futuro.
Mas quanto a nossa igualdade jamais tive qualquer dúvida. E agora essa minha convicção foi ratificada por uma edição da revista “Detrânsito”, editada pelo DETRAN-PR e, para confirmar o tema aqui abordado, tem como jornalista responsável Daniele Sasaki e na chefia da redação, além dela, Juliana Bueno.

O fato, em realidade, não me causa maior espanto, do que quando numa de minhas aulas na gloriosa Universidade Federal do Paraná, me deparei com maioria feminina no curso de Jornalismo, mais precisamente numa aula de “Ética e Legislação de Imprensa”.

O que pode soar um pouco estranho são as funções que passo a passo elas vão tomando dos macharrões, aqueles motoristas robustos que cruzam o Brasil de Norte a Sul, dirigindo por estradas mal conversadas diuturnamente e, que risco!, alguns tomando pílulas para combater o sono e, desse modo, ganhar mais rapidamente o que necessitam para pagar o caminhão recentemente comprado a prestação.

Eis que agora ficamos sabendo que elas, depois de dar adeus aos espartilhos e de, no ano de 1932, haver conquistado o direito de votar (anteriormente só de competência feminina), já estão superando o número de homens em muitas organizações e em muitos cargos de responsabilidade, em palavras objetivas: mulheres ditando ordens aos ditos macharrões. O que me traz a lembrança um seminário do qual participei em Berlim (Alemanha), no qual um robusto e alto germânico proclamou em voz alta: “Eu ao passar numa alfândega, prefiro ser examinado por um homem do que por uma mulher”. Com sobras de motivos. A mulher é mais paciente, mais atenciosa, mais responsável e, não raro, mais competente. Calma, não estou nos acusando de não termos essas qualidade. O que acredito é que elas as desempenham com maior cautela, com mais paciência e, de tal modo, mais rigorosamente.

P.S.- Certo que elas estão ao meu lado. E os macharrões?...







Contato